as cores dos pássaros

Por Padmini

No começo, os pássaros não tinha cor.
É o que nos diz esta fábula contada pela premiada autora Lúcia Hiratsuka.
A história tem origem lá na cultura oral do Japão e Lúcia, escritora e ilustradora, a adaptou, incluindo alguns pássaros do Brasil e transpondo-a para o formato livro, com uma proposta visual lindíssima.

 

Os pássaros ainda sem cor.
Os pássaros ainda todos iguais.
Pois, então, os pássaros não tinham cor.
Até que um dia a Dona Coruja resolveu brincar com tintas, mas acabou pintando uma de suas penas. Opa, um outro passarinho que passava por ali quis ser pintado também.
Outros passarinhos também querem ganhar cor, e assim vai… Vemos passar pelas páginas os mais variados passarinhos, ganhando suas cores e embelezando nosso olhar.
São eles sabiás, bem-te-vis, colibris, araras, melros, pavão, tangarás e outros.

 

As araras ganham o azul
As araras ganham o azul

 

A autora explica que utiliza uma técnica de ilustração japonesa chamada “sumiê”, que prima pela simplicidade.
São apenas pinceladas o que vai formando esses passarinhos, em contraste com toda a alvura das páginas.
O resultado visual é realmente de se encantar.

 

A incrível beleza do Pavão.
A incrível beleza do Pavão.
O livro é ótimo para aprender cores e brincar com elas.
E também para se aproximar dos passarinhos e se cativar com sua beleza.
Recomendamos inclusive para bebês!
Leia sem pressa e com muita brincadeira.
No final tem uma surpresa engraçada (e trágica ao mesmo tempo!), mas que a gente não conta aqui.
Vale muito à pena!
Recomendamos de coração.

 

literatura infantil
A técnica do sumiê

AS CORES DOS PÁSSAROS

Texto e Ilustrações de Lúcia Hiratsuka

Editora Rovelle

PARA COMPRAR:


QUER RECEBER NOSSAS DICAS DE LEITURA? DEIXE SEU EMAIL AQUI:

Sabe como os pássaros ganharam suas cores?
Classificado como: